Pai e filho roendo unha enquanto assistem TV

Roer unha: causas e 10 dicas para parar

Quem nunca ficou apreensivo com algo e começou a roer unha, ou a morder a pele da ponta dos dedos da mão, ou até dos pés!? Você não está sozinho nessa.

Aproximadamente 2,2 bilhões de pessoas, ou 30% da população mundial tem esse hábito relacionado com a ansiedade, e que pode trazer outros problemas de saúde.

E você e seus filhos? Fazem parte do grupo que não sossega até estar com a unha na boca?

Se respondeu “sim”, descubra agora porque as pessoas roem unhas, se este hábito ficou mais perigoso durante a pandemia, e principalmente se roer unha faz mal ou está relacionado com alguma doença.

Em geral, é um hábito que apresenta riscos à saúde, mas não necessariamente é sintoma de alguma doença. Mas é necessário perceber a intensidade desse vício.

Neste post vamos te explicar passo a passo sobre cada um desses e de outros assuntos relacionados ao tema, incluindo dicas de como parar de roer unha. 

O que é onicofagia?

É o nome dado ao hábito de roer unhas. Ele pode se manifestar já na infância, na faixa dos 4 a 6 anos, mas o mais comum é o hábito começar entre os 6 e 10 anos, e piorar durante a adolescência. 

Inclusive, adolescentes são a faixa etária que mais rói unhas – afinal, as mudanças pelas quais o corpo passa tem o potencial de deixar qualquer um ansioso!

Muitos roem até mesmo as unhas do pé, ou mastigam a ponta dos dedos. Apesar disso, normalmente é apenas um hábito, mas que pode trazer prejuízos para o organismo.

E, além disso, tem a questão estética. Ninguém gosta de ter as mãos feias por causa de machucados nos dedos, né?

Moça jovem sorrindo ao roer unha

Roer unha faz mal?

Essa talvez seja a principal questão de pais que têm filhos que roem unha com frequência. Embora seja um ato aparentemente “inofensivo”, roer unhas pode sim causar problemas de saúde, principalmente relacionados aos microrganismos que estão nos nossos dedos e ao funcionamento da boca.

A explicação é bem simples: nem sempre as unhas estão limpas quando a gente rói, o que pode causar doenças. Além disso, roer unhas pode afetar o funcionamento da boca e da mandíbula – especialmente em casos mais severos de onicofagia.

Esses são alguns problemas de roer as unhas:

  • Surgimento de ferimentos na pele dos dedos e cutículas.
  • Deformações nas unhas.
  • Aumento nas chances de problemas gastrointestinais.
  • Bruxismo.
  • Desgaste dos dentes.
  • Contaminações por bactérias.
  • Mau hálito.

Nos casos mais graves, pode causar até gastrite, apendicite, e deslocamentos na mandíbula! Mas, fique calmo: vamos explicar melhor ao longo do texto e você vai ver que é fácil identificar se o hábito de roer unhas está se tornando uma compulsão.

A onicofagia dificilmente precisa de intervenção médica ou de terapia comportamental. As exceções são:

  1. Roer a unha e a ponta dos dedos até sangrar ou causar ferimentos. 
  2. Onicofagia acompanhada de comportamentos como agressividade, choro ou medo exagerados. 
  3. Caso seu filho seja diagnosticado com ansiedade, TOC ou TDAH e você ache que o hábito se tornou compulsivo.

Roer unhas causa doenças?

Infelizmente, para os roedores de plantão, a resposta é sim.

Roer unhas – ou ferir as cutículas de modo geral – aumenta a predisposição a infecções Isso, por si só, já é problemático. Quando a gente coloca a unha na boca, então…

A situação fica mais crítica para quem engole pedacinhos de unhas, já que as bactérias são levadas diretamente ao estômago. Se isso acontecer muito, podem acontecer problemas gastrointestinais, como gastrite.

Em tempos de Covid-19 então, nem se fala! Roer unha é muito ruim. Como já mencionamos, roer unhas facilita a infecção por microrganismos e o coronavírus é um deles. 

Além disso, se estiver infectado, você coloca o vírus diretamente em contato com as suas vias respiratórias.

Conversamos com a cirurgiã dentista Caroline Carlette para entender como a odontologia enxerga a onicofagia. Não chega a ser considerado doença, mas causa efeitos negativos no dente.

“A onicofagia é considerada um hábito parafuncional, quando o dente é usado para funções além da mastigação, para se alimentar. Desgasta o dente e faz mal para a mandíbula, por causa do movimento que é feito”.

Caroline Carlette, cirurgiã dentista

Uma das consequências mais extremas seria a DTM, disfunção temporomandibular, um problema na articulação e nos músculos da mandíbula. Pode causar dor de cabeça, dor ao abrir e fechar a boca e dificultar a mastigação.

Se você ou seu filho têm estes sintomas, devem ir ao dentista para começar o tratamento com placas acrílicas para usar à noite.

homem nervoso com a mão na boca roendo unhas

Roer unha por si só é considerado doença?

A onicofagia é considerada um transtorno nervoso, ou seja, uma resposta a uma situação desagradável. Ela se torna um hábito, um comportamento involuntário sempre que uma situação dessas surge.

Ou seja: roer unha não é considerado doença. Apesar de causar problemas de saúde, não está relacionada a uma patologia.

Inclusive, o tratamento para casos mais graves de onicofagia envolve visitas a psicólogos, terapeutas ou mesmo psiquiatras. Afinal, do mesmo modo que o hábito é aprendido (mesmo que involuntariamente), ele pode ser substituído por modos mais saudáveis de lidar com a tensão. 

Por isso, é importante entender a causa dessa reação. Você sabe por que você ou seu filho roem as unhas? Qual será o motivo?

Por que roemos as unhas?

Existem várias respostas a essa pergunta e a ciência ainda não descobriu quais são as variáveis que influenciam nesse hábito.

Porém, podemos já esclarecer alguns mitos: não tem a ver com “verme”, nem dá câncer, tampouco engorda ou emagrece alguém.

Já foram feitos vários estudos para tentar descobrir porque tantas pessoas roem as unhas. Nesse sentido, a hipótese mais aceita é de que é um mecanismo de defesa contra a ansiedade.

  • Para psiquiatras, o motivo pode estar na genética; pode ser uma maneira de relaxar e sentir prazer; ou uma forma de diminuir o tédio.
  • Para psicólogos, pode ser sinal de falta de tranquilidade, ou perfeccionismo, no ato de querer “consertar” as unhas lixando e mordendo até ficarem perfeitas, e a sensação de relaxamento que o hábito causa.
  • Existe ainda quem roa as unhas para se machucar. Nesses casos, é importante identificar o motivo para entender o que se passa com a criança ou adolescente.

No caso das crianças, é possível ainda que elas comecem a roer as unhas por imitação dos pais. Por isso, se você ainda não perdeu o hábito, seus filhos podem estar aprendendo com você!

Roer unha é sinal de ansiedade?

Bom… sim e não. 

De fato existe uma relação entre roer as unhas e se sentir ansioso, mas isso não necessariamente significa que a pessoa seja clinicamente diagnosticada com algum transtorno, como de ansiedade.

Portanto, na maioria dos casos, não há motivos para preocupações. Contudo, caso seja muito frequente e com forte intensidade, vale a pena investir em mudanças de comportamento.

A Associação Americana de Psiquiatria incluiu a onicofagia na lista de transtornos obsessivos-compulsivos (TOC), mas a posição não é unânime entre os profissionais da área.

Conversamos com a psicóloga Karoline Senna para entender melhor as relações entre ansiedade x roer unhas. Segundo ela, o ato dá uma sensação de prazer imediato.

Geralmente, quando alguém vem para uma sessão e rói unha, é por causa de alguma sensação de ansiedade. E como dá um conforto imediato, você tira o foco do que está te preocupando, e se concentra na unha, aí se sente relaxado. Depois, precisa continuar roendo…

Karoline Senna, psicóloga.

Há quem defenda que o comportamento compulsivo do TOC seja sempre causado por ansiedade, o que não é o caso com a onicofagia. Também é comum que o hábito de roer as unhas seja abandonado naturalmente pela criança ou adolescente, o que não acontece com quem tem transtorno obsessivo-compulsivo.

Mulher mostrando os dedos das mãos com unhas pintadas

Como parar de roer unhas?

Pode ser difícil para algumas pessoas, mas com muito autocontrole e algumas mudanças de hábito, a maioria das pessoas consegue deixar as unhas em paz depois de algum tempo. As estratégias variam muito de pessoa para pessoa.

O importante para pais que querem ajudar seus filhos a parar de roer unhas é entender a causa. Portanto, nada de brigar com a criança ou adolescente, deixar de castigo ou passar esmalte amargo nas unhas. Isso é só empurrar a sujeira para debaixo do tapete. 

Ao invés disso, que tal perguntar para seu filho ou filha: “por que você está roendo as unhas? Tem alguma coisa te estressando?”

Este é um bom caminho para descobrir se tem algo estressando suas crianças! Talvez estejam fazendo atividades demais, ou de menos, ou estejam com dificuldades para se adaptar à escola…

Talvez seu filho ou filha não saiba responder de imediato. De qualquer forma, essas dicas podem te ajudar a lidar com esse problema:

10 dicas para parar de roer unhas

  1. Não gere mais tensão para o seu filho com ameaças de punição.
  2. Incentive-o a desabafar com você sobre os problemas.
  3. Mantenha as unhas dele curtas.
  4. Atente seu filho sobre o hábito, às vezes ele nem percebe!
  5. Atividades manuais podem ajudar a substituir a “necessidade” de roer as unhas.
  6. Mantenha seu filho entretido com atividades que gastam energia.
  7. Apoie sempre e celebre as pequenas vitórias!
  8. Nunca coloque pimenta ou semelhantes nas unhas da criança.
  9. Incentive o hábito de cuidar bem das unhas.
  10. Procure se distrair com outros hábitos e tarefas, quando aparecer vontade de roer unha.

Essas dicas servem bem para os filhos, mas também são ótimas para papais e mamães que roem as unhas. Dito isso, o importante é sempre lembrar que existem formas mais construtivas de lidar com a ansiedade. Descubra qual funciona melhor para você!

Esmaltes e remédios para parar de roer as unhas

Esse tópico é bem polêmico, mas como tem muita gente interessada em “remédios” para parar de roer unhas, vamos comentar aqui.

Um método é passar esmalte com gosto amargo nas unhas. Assim, na hora de roer, você sente um gosto horroroso e irá parar no mesmo instante.

Existem muitas pessoas que garantem que conseguiram se condicionar a parar de roer unhas seguindo esse método, assim como há quem passe esses esmaltes nas unhas dos filhos. Há até especialistas que recomendam o método, porque muitas vezes a gente começa a roer unha e nem percebe.

Mas, segundo a pediatria, esse não é o método mais eficaz, já que não trata o principal motivo de roer as unhas, a ansiedade.

Como não há consenso, não podemos recomendar essa prática. Você já testou esse método alguma vez? Comente aqui quais foram os resultados!

Manicure pintando as unhas da mão

Como fazer as unhas crescerem bonitas e saudáveis

Um problema que não abordamos com profundidade nesse texto é que as unhas ficam feias por causa do costume de roer.

Nessa hora, vale virar blogueirinha e investir na vaidade e em cosméticos para cuidar e fortalecer as unhas. Tente fazer o seguinte:

  1. Invista em uma base fortalecedora.
  2. Tenha uma lixa sempre com você.
  3. Hidrate diariamente as unhas.
  4. Se alimente bem para nutrir adequadamente as unhas.
  5. Evite contato com produtos químicos.

Aprenda a estimular seu filho

Em muitos casos são as situações tensas que desencadeiam a onicofagia. Portanto, cabe a você e seus filhos descobrirem, juntos, como vencer a ansiedade.

Atividades lúdicas, DIY, jogos e brincadeiras para fazer em casa, artes marciais ou aprender a tocar um instrumento musical são apenas algumas das atividades que podem relaxar seus filhos e distraí-los do hábito de roer as unhas.

Nesta etapa, o que vale é tentativa e erro e o esforço para criar novos hábitos. Talvez você descubra que seu filho é mais vaidoso, então pode ser interessante levá-lo semanalmente para a manicure.

Ou talvez ele goste de tocar guitarra e perceba que machucar os dedos dificulta na hora de apertar as cordas. 

A jornada para parar de roer as unhas é longa e demanda tempo e esforço, tanto seu, quanto das crianças.

A boa notícia é que O Tomo dos Pais pode te ajudar! Somos uma plataforma que ajuda pais a entenderem melhor seus filhos, e oferecemos vários materiais para cada fase do desenvolvimento de crianças e adolescentes.

Enviamos semanalmente recomendações de atividades, tudo completamente personalizado de acordo com você e sua família. 

Que tal experimentar? Sabemos que a rotina é corrida, então receber essas informações pode transformar sua relação com seus filhos. Faça o teste por um mês e, se não gostar, devolvemos seu dinheiro, sem burocracia e sem pegadinhas