Criança chorando no chão depois de cair, tentando se levantar. Ele apoia um dos braços na mãe

Meu filho caiu de cabeça no chão. O que fazer?

Essa situação é um terror para qualquer pai ou mãe, especialmente para os de primeira viagem. Mas, ao ver seu filho cair, o importante é manter a calma para lidar com a situação da melhor forma possível.

Normalmente, não é necessário procurar ajuda médica imediatamente, a menos que seja uma queda de grande altura ou a criança fique inconsciente. 

Mas, na dúvida, lembre-se daquele velho ditado: o seguro morreu de velho. Isto é, melhor ir ao médico e descobrir que estava tudo bem, do que correr riscos por achar que estava tudo bem.

Neste texto, respondemos as principais dúvidas sobre quedas de bebês, crianças e adolescentes, incluindo um passo a passo para você saber como reagir na hora em que o acidente aconteceu.

Meu filho caiu de cabeça no chão. O que eu faço?

Resumidamente, o procedimento é o seguinte:

  1. Tente acalmar a criança, mantendo a fala tranquila.
  2. Observe a criança e a parte do corpo impactada pela queda por 24 horas.
  3. Preste atenção para comportamentos incomuns.
  4. Se atente para sintomas como vômito ou dificuldade para respirar.
  5. Aplique uma compressa fria na região onde bateu, durante cerca de 20 minutos.
  6. No dia seguinte, aplique uma pomada para hematomas.

Antes de mais nada, não entre em pânico! Bebês e crianças caem o tempo todo, então é provável que seu filho se recupere em um piscar de olhos. Lembre-se que o pequeno ou pequena está tão assustado quanto você – ou talvez até mais, principalmente se for um bebê.

Filho chorando no colo da mãe, que abraça a criança para consolar

Logo que seu filho cair, você deve procurar por sinais imediatos de trauma, como vermelhidão, cortes, inchaços ou fraturas.

Caso perceba algum inchaço ou algum galo na cabeça, pode aplicar gelo durante 20 minutos e repetir depois de uma hora. Lembre-se de não aplicar diretamente o gelo sobre a pele, para não queimá-la. Utilize uma compressa ou enrole o gelo em um pano. 

Se perceber algum corte, limpe com um pano. Aliás, alguns locais sangram mais, como a boca. Por isso, sem desespero, ok?

A observação imediata e ao longo do dia seguinte são fundamentais para saber se o tombo foi grave ou não, no caso de bebê ou criança que caiu e bateu a cabeça.

Como saber se a queda foi grave?

Para saber se a pancada na cabeça foi grave, observe com atenção o comportamento da criança durante o dia seguinte. Caso ela esteja agindo normalmente, não foi nada demais.

Agora, se ela apresentar sinais como cansaço, tontura ou enjoo, procure um médico. Esses são sintomas clássicos de concussão, uma lesão cerebral causada por pancada forte na cabeça, que limita temporariamente a atividade cognitiva.

Pela mesma razão, sensibilidade à luz e à ruídos, dificuldade de concentração e lapsos de memória também devem ser vistos com cautela.

A gravidade da lesão depende ainda do tipo de queda e da idade da criança. Por exemplo, qualquer queda de menores de três meses requer visita ao médico, o que não se aplica a crianças de quatro ou cinco anos. 

Uma boa dica é ter o número do pediatra salvo no celular. Assim, você pode ligar ou enviar mensagem e receber orientações médicas na hora do aperto.

Quando procurar um médico

A reação inicial depois de seu filho cair de cabeça no chão é sempre querer procurar um médico. Contudo, a maioria das quedas não requer atendimento emergencial.

A ajuda profissional é indicada especialmente no caso dos bebês com menos de dois anos de idade. Afinal, eles ainda têm os ossos mais “molinhos” e precisam de cuidados redobrados na prevenção e atendimento em caso de queda.

Isso é uma característica própria dos bebês recém-nascidos. Eles nascem com ossos mais maleáveis para facilitar a passagem pelo canal vaginal, apenas depois de algum tempo é que eles se tornam mais duros. Então, até que isso aconteça, as batidas são mais problemáticas.

Enfim, se o seu filho caiu e bateu a cabeça dentro de algum dos cenários abaixo, procure um médico ou pronto socorro:

  • Queda de altura maior do que 1 metro para bebês.
  • Queda de altura maior do que 1 metro e meio para crianças.
  • Acidente sem capacete. 
  • Acidente de automóvel.
  • Acidente com perda de consciência.
  • Acidente que deixa grande inchaço.
  • Queda de escada com mais de 4 degraus.
  • Presença de hematomas.
  • Galo em menores de dois anos.
  • Sangramento no ouvido ou nariz.
  • Convulsão.
  • Sonolência excessiva.
  • Bebê ou criança não responde.
  • Dificuldade para andar ou falar.
  • Ausência de movimento depois da queda.
  • Mais de quatro episódios de vômito.

Por fim, não ignore seu instinto de pai ou de mãe. Se você achar que seu filho caiu e bateu a cabeça e está machucado, ou se for um bebê muito pequeno, ligue para o 193 ou procure um Pronto Socorro imediatamente.

Foto preta e branca de criança com roupa social chorando, com as mãos para a frente

O que fazer de acordo com cada idade

Sua reação deve ser diferente de acordo com a idade do seu filho. Por isso, salve esse post nos favoritos para consultar conforme o estágio de crescimento da criança!

Menores de três meses

Se o seu bebê caiu e bateu a cabeça, leve-o ao hospital em qualquer situação. Sem choro, nem vela. Nada de arriscar e tentar resolver em casa!

Três meses a dois anos

Leve ao médico em caso de quedas de mais de 1 metro de altura, mais de quatro degraus de escadas, ou se ficar um galo na cabeça. Caso contrário, acalme-a, examine o corpo inteiro e utilize compressas frias e pomadas. Considere entrar em contato com o pediatra para orientações mais específicas. 

Mais de dois anos, infância e adolescência

Leve ao médico em caso de quedas de mais de 1,5 metro de altura, ou mais de quatro degraus de escada. Se ficar um galo na cabeça, coloque gelo e avise o pediatra. Observe se a criança fica assustada, com dificuldades para dormir, sonolência ou irritação no próximo dia. 

Se o seu filho caiu de bicicleta (ou similares) sem capacete, leve ao médico mesmo que ele não apresente sintomas. Caso ele seja passageiro em um acidente de automóvel, também. Nesses casos, se ele caiu e bateu a cabeça, o trauma é considerado grave. Por isso é importante um médico conferir se está tudo bem mesmo.

Se houver qualquer alteração de comportamento, também é importante comunicar o pediatra. 

Lembre-se: estas são apenas informações gerais. Avalie a situação e, se julgar necessário, não hesite em acionar os paramédicos. 

Entendendo as lesões na cabeça

Pode parecer cruel, mas acredite: você vai se acostumar a ouvir seu filho te chamando porque ele caiu e bateu a cabeça. Afinal, quando são bebês, cair faz parte do aprendizado de novos movimentos; e quando são mais velhos, faz parte das brincadeiras e dos esportes. 

O nome técnico para isto é traumatismo crânio-encefálico (TCE), que pode ser classificado como leve, moderado ou grave dependendo da avaliação do médico e do jeito como se machucou. Apesar do nome assustador, na maioria dos casos é leve. 

Você deve ficar atento caso seu filho apresente alguma alteração de estado mental. Por exemplo: parar de responder a estímulos, apresentar confusão, lapsos de memória ou comportamento irritado. Sangramentos excessivos também devem ser tratados por um médico.

Mas muitas situações frequentemente podem ser cuidadas por você mesmo. É o caso dos galos ou da boca sangrando. Vamos falar um pouco mais sobre elas, para você saber o que fazer.

Já podemos adiantar que nessa hora o gelo é o seu melhor amigo!

“Meu filho caiu de cabeça e fez um galo na testa”. O que fazer?

Aqui, não precisa se preocupar. Isso porque o galo na cabeça não é sinal de alerta para um problema mais grave na maioria dos casos. Nesse sentido, o tamanho do galo também não tem relação com a gravidade da queda.

Apenas aplique uma compressa fria, ou gelo enrolado em uma toalha. Assim, em alguns dias a testa do seu filho estará novinha em folha e ele estará pronto para continuar brincando. 

Agora, se ele for menor de dois anos, leve-o a um pediatra para uma avaliação.

“Meu filho caiu de cabeça e machucou a gengiva”

Nervos de aço nessa hora: a boca é muito vascularizada, por isso qualquer corte sangra muito. Antes de mais nada, limpe o local e tente observar se o corte na gengiva, língua ou lábio é profundo.

  • Se o corte for profundo, leve a um pronto socorro, pois pode ser necessário dar alguns pontos. 
  • Caso contrário, faça compressa de gelo para diminuir o inchaço e o sangramento. 
  • Se o dente quebrar ou mudar de cor, vá ao pronto socorro ou ao dentista. 

Essas situações são mais tranquilas, mas em alguns casos, pode ser mais complicado, casos da criança que bateu a cabeça e não respira, ou está vomitando. Nestes casos, procure ajuda médica imediatamente. Veja como proceder até lá:

“Meu bebê caiu e não respira”

Se o seu filho caiu e ficou inconsciente, mesmo que por alguns segundos, procure ajuda. Do mesmo modo, caso ele não respire, faça o seguinte:

  1. Peça ajuda. Grite, faça escândalo e informe que a criança está desmaiada!
  2. Ligue para o 192 e informe o que aconteceu. Se houver outra pessoa perto, peça para ela ligar.
  3. Deite a criança de barriga para cima, elevando o queixo para trás.
  4. Faça cinco respirações para a boca da criança.
  5. Inicie uma massagem cardíaca, fazendo compressão no centro do peito com a mão, ou com os polegares em casos de menores de 1 ano. Veja como fazer corretamente em bebês e em crianças.
  6. Alterne entre duas respirações na boca a cada 30 massagens cardíacas. 
  7. Faça isto até a ambulância chegar ou a criança voltar a respirar. 

Emergências nunca dão aviso, por isso é importante estar sempre em dia com os procedimentos básicos de primeiros socorros. Neste vídeo, você pode conferir uma lista de habilidades que podem salvar a vida de alguém.

“Meu bebê caiu e está vomitando”

Vômito após um trauma na cabeça é sempre sinal de alerta, não apenas para bebês e crianças. 

Caso ela vomite mais de quatro vezes nas primeiras 24 horas depois do acidente, leve-a ao médico.

O vômito pode ser manifestação de uma complicação mais séria, como uma fratura no crânio, sangramento interno, elevação da pressão intracraniana ou concussão.

Meu filho caiu de cabeça no chão. Ele pode dormir?

Muita gente diz que o bebê não pode dormir quando cai, mas na verdade isso é um mito. Não existe um “prazo” para que a criança possa dormir, ou evidências médicas para que pais não deixem dormir depois de uma queda. 

Apenas a sonolência excessiva é um sinal de alerta de lesão grave na cabeça. Ou seja, se estiver dormindo demais, ou se tiver muita dificuldade em acordá-la. 

Dependendo da idade, você pode manter a criança acordada para perguntar se está tudo bem, para ela te contar o que aconteceu e por aí vai. Mas, depois disso, uma soneca está liberada (especialmente se ela chorou demais).

Criança sentada em poltrona chorando

Como evitar que seu filho caia

Você com certeza está pensando: “eu não quero saber que meu filho caiu!”. Especialmente depois de ler termos tão assustadores quanto traumatismo crânio-encefálico, fratura, deformidade no crânio…

Mas, não adianta colocar capacete nele 24 horas por dia, ou querer mantê-lo dentro de uma bolha. Ele vai cair. Isso é fato e faz parte do processo de ser criança!

O que você pode fazer é se prevenir para diminuir os riscos e proporcionar o máximo de segurança para as brincadeiras e explorações dos seus pequenos ou pequenas. 

Aqui vai uma lista de como fazer isso:

  1. Cuidado ao segurar o bebê no colo!
  2. Ao trocar as fraldas, apoie o bebê com uma das mãos. 
  3. Coloque grades de proteção em berços, camas, janelas, sacadas e mezaninos.
  4. Invista em áreas de lazer com pisos emborrachados para o impacto não ser tão grande.
  5. Capacetes, cotoveleiras e joelheiras são muito importantes durante certas atividades esportivas!
  6. Supervisione bebês e crianças. 
  7. Antiderrapantes em tapetes podem ser úteis.
  8. Mantenha cadeiras e outros móveis “escaláveis” longe das janelas.
  9. Coloque grades de proteção em portas e janelas.
  10. Não brinque em escadas e nem deixe brinquedos jogados nos degraus.
  11. Mantenha móveis fixos e estáveis – incluindo a televisão, para que eles não caiam caso seu filho tente se apoiar neles. 

Recado final

Agora você já tem todas as informações para socorrer seu filho quando ele cair! De todo modo, vamos reforçar o principal, para você memorizar bem: 

  • Mantenha a calma e tranquilize seu filho.
  • Examine o corpo e observe durante 24 horas.
  • Gelo para inchaços, médico para situações atípicas.
  • Não adianta tentar colocar seu filho em uma bolha.

Que tal compartilhar essas informações com outros pais e mães? Afinal, todos vamos passar por isso e aprender a lidar com as quedas é uma parte importante do processo!

Aqui no blog d’O Tomo dos Pais temos materiais ricos sobre tudo o que envolve a criação dos seus filhos! Desde dicas de saúde e segurança, até materiais para ajudar a acalmá-lo depois de uma situação tensa, como uma queda de cabeça no chão.