Bebê treinando pra usar penico

Como desfraldar o meu filho? Aprenda como fazer o desfralde

Desfraldar uma criança é um momento de ansiedade e apreensão para os pais. Mas esse período tão delicado e importante para o desenvolvimento infantil não precisa ser traumático.

O desfralde é o primeiro passo de uma série de desafios que a criança irá superar para conquistar autonomia sobre seu corpo. 💪

Também é uma das passagens mais marcantes da primeira infância, por isso, o abandono da fralda deve ser feito da maneira mais natural possível, respeitando o tempo e as necessidades da criança.

Confira nossas dicas e estratégias para que o desfralde do seu filho seja uma experiência tranquila:

O que é o desfralde?

De forma simples, o desfralde é quando a criança para de usar fraldas porque já é capaz de controlar seus esfíncteres, os músculos responsáveis pela abertura e fechamento dos orifícios.

Por isso o desfralde tem tanto a ver com a maturidade da criança. Ele impulsiona a percepção da criança sobre o seu próprio corpo, sua independência e autoconhecimento.

O desfralde ocorre geralmente entre o primeiro e o terceiro ano de vida da criança, quando o pequeno já tem seu desenvolvimento neurológico maduro, consegue andar e se comunicar de forma clara.

Quando desfraldar a criança? Qual a melhor idade para desfralde?

Não existe uma regra sobre quando iniciar o desfralde, no entanto, o melhor é que o começo desse processo seja sinalizado pela própria criança.

Algumas vezes os pais antecipam o desfralde em função de escolas e creches que só aceitam alunos que já não precisam mais da fralda.

Antecipar esse momento pode ser uma escolha perigosa, visto que traumas durante esse período podem acarretar em disfunções urinárias e prisões de ventre, além disso, a pressão exercida pelos pais pode diminuir a autoestima da criança.

Não existe idade correta para o desfralde, no entanto é possível perceber sinais que indicam que seu filho está pronto para deixar a fralda.

Se a criança apresenta as características abaixo, provavelmente chegou a hora de começar a treiná-la para o desfralde:

  • a criança já consegue andar;
  • tem os horários de evacuação mais ou menos regulados em intervalos de 3 ou 4 horas;
  • consegue comunicar que está querendo fazer xixi e cocô ;
  • se sente incomodada com a fralda suja;
  • consegue ficar sentada por alguns minutos sem se distrair.

Mas atenção, com esses sinais o que deve ser iniciado é o treinamento, não espere que seu filho largue a fralda pela cueca ou calcinha em pouco tempo.

O desfralde é um processo delicado, em que o tempo varia muito de criança para criança.

Como fazer o desfralde?

O primeiro passo para o desfralde é comprar um penico ou um suporte para vaso sanitário – se o suporte for a escolha, a criança também precisará de um banquinho ou escadinha para  apoiar os pés e facilitar o esforço de evacuação.

Estimule seu filho a usar o penico ou o suporte, mas, no primeiro momento, não tire a fralda. Isso é muito importante para suavizar essa transição!

No mercado existem fraldas de transição que facilitam esse processo. São cuecas ou calcinhas reutilizáveis, que tem camadas de absorção, para os momentos que seu filho não conseguir chegar no banheiro a tempo.

Tirar a fralda de forma abrupta pode ser prejudicial para o desenvolvimento da criança, fazendo com que ela prenda o cocô ou o xixi.

As crianças aprendem por imitação, então não se acanhe em mostrar como se faz. Se seu filho for menino, o pai pode fazer xixi no banho junto dele, se for menina, a mãe pode acompanhá-la, os irmãozinhos e os coleguinhas também podem ajudar muito durante o desfralde.

Deixe a porta do banheiro sempre aberta e faça com que o seu filho sinta-se à vontade no ambiente.

Compre cuecas e calcinhas com temas infantis e estimule a criança a usá-las. E sempre elogie seu filho, incentive as pequenas conquistas e respeite o tempo dele.

Aliás, não faça isso somente durante o desfralde, esses comportamentos são o que transformam a criança em um adulto seguro e feliz. 😉

Mãe brincando com filho pequeno

A criação de uma rotina também auxiliará a criança a ficar confortável com o ato de desfraldar. Sempre que for ao banheiro para lavar as mãos ou escovar os dentes, pergunte a seu filho se ele quer fazer xixi ou cocô.

Ao acordar e também ao dormir, sente a criança no penico ou no redutor para vaso, espere cerca de cinco minutos mas não a pressione. Se ela não fizer nessa ocasião, tenha paciência.

Quando estiver trocando a fralda faça com que a criança participe do processo, não deixe que ela se distraia com outras coisas.

Nesse momento, aproveite para explicá-la o porquê de ela estar usando fraldas, se a fralda estiver suja ou limpa, comente com ela. Isso dará a oportunidade da criança se envolver com o assunto e ter maior consciência sobre seu corpo.

Especialistas percebem o verão como a fase mais propícia para o desfralde. Durante a estação é mais fácil para os pais deixarem os filhos sem fralda por mais tempo e as roupas que precisam ser lavadas – que são muitas – também secarão mais rápido.

Também é importante que os pais ensinem a forma correta de se higienizar. As crianças costumam fazer a limpeza de trás para frente, o que pode ocasionar infecções e contaminações  urinárias, portanto, especialmente entre as meninas esse cuidado é essencial.

E lembre-se que mesmo desfraldada, é normal que a criança faça xixi na cama. Crianças de até 6 anos podem ter escapes noturnos de uma a duas vezes ao mês.

A causa disso está relacionada à genética, se a mãe ou o pai faziam xixi na cama até os 5 anos de idade, a criança tem 40% de chances de fazer também, se forem ambos os pais, as chances sobem para 60%.

Mudanças na rotina da criança, como a chegada de um irmãozinho, também se relacionam às escapadas de xixi noturnas.

Quanto tempo demora o desfralde?

Há crianças que desfraldam em uma semana e outras que demoram bem mais nesse processo.

Não acredite em métodos milagrosos que prometem como desfraldar o bebê em três dias, forçar o desfralde não fará bem a ele e pode, inclusive, atrasar muito a conquista do seu filho.

E quando iniciar o desfralde, evite desistir. A adaptação também será difícil para os pais – seu filho pode fazer cocô e xixi em momentos inconvenientes – mas lembre-se que paciência é a chave para o sucesso.

Bebezinha comemorando

Desfralde noturno

Desfraldar uma criança à noite envolve outro processo…

Algumas famílias optam por tirar a fralda de uma só vez, em ambos os períodos. No entanto, especialistas apontam que dividir o processo entre desfralde noturno e desfralde diurno facilita as coisas tanto para as crianças quanto para os pais.

Quando seu filho já pede para usar o banheiro e as escapadas durante o dia são poucas, chegou a hora de iniciá-lo no desfralde noturno.

Se a criança acorda a maioria dos dias com a fralda seca e demonstra incômodo ao usar fralda, talvez ela esteja pronta para ser totalmente desfraldada. Lembrando sempre que o desfralde não é uma questão de idade, mas sim do nível de maturidade em que a criança se encontra.

Os pais também precisam se preparar pra esse processo, e uma dica é: diga ao seu filho que você está ali para quando ele quiser usar o banheiro durante a noite, que é só chamar você.

Também evite dar líquidos antes da criança ir pra cama e a faça ir ao banheiro antes de deitar. Use lençóis impermeáveis e tenha roupinhas extras próximas a cama dela.

Tenha em mente que para seu filho o desfralde é um desafio, e desfraldar a noite é mais uma etapa de uma conquista muito importante na infância dele, então sempre que ele estiver com a fralda seca pela manhã, o elogie. 

No caso do desfralde noturno, voltar atrás e colocar a fralda às vezes se torna inevitável. Se o processo estiver sendo muito difícil e desgastante, recoloque a fralda. Com paciência, explique a seu filho que logo logo vocês irão estar prontos para tentar novamente.

Pai coloca fralda em criança pequena. Desfralde. Imagem Ilustrativa.
Foto por Helena Lopes

Desfraldando crianças com deficiência

As informações dessa seção vem do site Reab.me.

Com uma criança especial o ritmo é outro. A maturação neurológica é essencial para o sucesso do desfralde, portanto, mais do que se guiar por teorias comportamentais, os pais devem contar com a observação para entender o momento de iniciar o desfralde.

Em caso de crianças com pouca habilidade ao falar, tente perceber se ela se incomoda com a fralda suja, ou se ela dá sinais antes de fazer xixi ou cocô.

Se sua criança urinar em um intervalo inferior a duas horas, talvez seja o caso de esperar mais um pouco para começar o treinamento.

Para as crianças com deficiência, a volta à fralda depois de iniciado o processo de desfralde deve ser ainda mais evitada. Manter uma rotina com fralda e depois tirá-la, pode causar confusão na criança sobre o que se espera dela.

Com crianças com deficiência motora, o ajuste dos equipamentos devem ser estudados com cuidado para atender a cada necessidade específica. Adaptações são sempre bem vindas.

Os pais podem procurar o apoio de um Terapeuta Ocupacional para que o desfralde se adeque às necessidades da criança.

Para crianças cegas ou com pouca capacidade de enxergar, procure permitir que elas explorem o banheiro e se sintam seguras. Mostre-as o passo a passo sobre como se higienizar, como jogar o papel fora e apertar a descarga.

Procure sempre deixar os móveis do banheiro e o penico que a criança utiliza no mesmo lugar. Após adaptada, leve a criança para conhecer outros tipos de lavabo, assim os pais podem exercitar a independência e o senso de adaptação dos pequenos.

Em crianças surdas ou com pouca audição o processo de desfralde precisa ser simples e sistemático. A criança precisará de muitos estímulos visuais, portanto, compre livros infantis sobre o processo de desfralde e a faça se envolver com o processo.

Um outro bom recurso é o processo de imitação, mostre a seu filho como você usa o banheiro e certamente ele tentará reproduzir. 

Assim como toda criança, a criança com deficiência conta com o carinho e a dedicação dos pais nos momentos de desafio, por isso, elogie e enalteça cada pequena conquista durante o desfralde

Crianças com sindrome de down brincando

Considerações finais

Como desfraldar com paciência e calma, sem traumas, se não tenho tempo pra nada? Isso é um motivo de preocupação recorrente entre as famílias.

Hoje, com as responsabilidades do dia-a-dia, os pais se sentem pressionados e muitas vezes incapazes de oferecer o melhor apoio aos seus filhos durante o abandono da fralda. (e é para ajudar vocês que o serviço do Tomo dos Pais existe 😉)

No entanto, a qualidade do tempo é mais importante do que a quantidade oferecida. O respeito e a paciência durante esse momento é imprescindível para que o desfralde do seu filho seja um sucesso.

Comemore quando a criança conseguir fazer xixi e cocô no banheiro mas não brigue quando houver escapadas – até porque elas certamente acontecerão em grande número.

Um desfralde feito sem cuidado pode refletir na saúde emocional e intestinal da criança, por isso, sempre prefira um desfralde gentil.

Algumas escolas optam por um “desfralde coletivo”, o que pode ser prejudicial para as crianças, já que cada uma delas tem seu próprio ritmo. Não tem como querer que uma turma com crianças de físicos e emocionais diferentes tenham um processo de desfralde igual.

O processo de desfraldar é único para cada criança, envolve controle físico e capacidade de comunicação. Em crianças menores (1 e 2 anos), essas são características que devem ser ensinadas com muita paciência e afeto.

Lembre-se que o desfralde é um desafio de conquista, e como toda conquista, deve ser valorizada e exaltada.

Dedicar-se ao seu filho durante esse processo é a certeza de que ele se tornará uma criança feliz, segura e consciente do próprio corpo. Com paciência, disciplina e alguma sorte, em pouco tempo seu filho estará livre das fraldas e pronto para mais desafios. 💪

E se quiser recomendações mais personalizadas e ajuda com os maiores desafios da criação de uma criança, dê uma olhada no nosso serviço de assinatura. 🧙‍♂️