Imagem do jogo Free Fire

Jogar Free Fire faz bem ou devo tirar do meu filho?

Jogar videogame tem uma série de benefícios. Porém, tudo depende da forma como se joga: ficar muito tempo na frente da tela do celular faz mal, assim como jogar antes da idade recomendada. Na verdade, é assim com qualquer jogo eletrônico.

Normalmente, quando a criança começa a ter problemas sociais, de sedentarismo ou irritabilidade, é hora de conversar e procurar outros passatempos.

Neste texto, você aprenderá tudo sobre um dos jogos mais famosos do mundo. Você entenderá porque Free Fire faz bem, se não tiver excessos. E entenderá porque tantos jovens não conseguem desgrudar das telas.

Você descobrirá também se ele realmente deixa os jovens violentos, ou se isso não passa de um mito. 👀

Por que Free Fire faz tanto sucesso?

Segundo a Pesquisa Game Brasil de 2021, Free Fire é o jogo mais popular do Brasil. Isso tem algumas explicações, segundo jornalistas que acompanham o mercado dos games:

  • O jogo é leve e roda na maioria dos celulares, ou seja, é acessível para a grande maioria da população.
  • É simples e fácil de aprender.
  • As partidas são curtas e dinâmicas, com duração de cerca de 10 minutos.
  • Tem atualizações frequentes em que são adicionados novos conteúdos. 
  • Tem várias referências ao Brasil. Por exemplo, recentemente a Anitta virou personagem jogável.

O vídeo abaixo é da Loud, uma equipe de esportes eletrônicos profissionais. Ele é ótimo para entender o apelo e a comunidade que existem em torno do jogo:

Qual é o perigo de jogar Free Fire?

O perigo é a falta de limites. Assim como tudo na vida, precisa de equilíbrio. Isso vale para o Free Fire mas também para qualquer outro jogo também. 

Videogame tem benefícios importantes, como apoio no desenvolvimento motor, raciocínio lógico, e sociabilidade. Mas jogar demais pode causar problemas de saúde e até dependência (sim, pode viciar).

Não existe um padrão absoluto de quantas horas por dia ou semana pode jogar. Depende da idade e do próprio jovem. Alguns podem jogar mais sem sentir efeitos negativos.

Para entender melhor, veja abaixo os benefícios e riscos do Free Fire. Isso te ajudará a entender se o seu filho está mostrando comportamentos positivos ou negativos relacionados ao jogo.

Quais os benefícios do Free Fire?

Em geral, jogar Free Fire faz bem nos seguintes aspectos:

  • Sociabilidade: jogar Free Fire é uma excelente oportunidade de fazer parte de um grupo e socializar.
  • Planejamento: para jogar em alto nível, não basta apenas sair atirando. Precisa estudar as melhores estratégias, treinar bastante, e se adaptar rapidamente em cada round.
  • Desenvolvimento motor e da mente: o jogo trabalha bastante a coordenação das mãos e o raciocínio rápido.
  • Oportunidade de ganhar dinheiro: quem joga muito bem pode se tornar jogador profissional de e-sports. 

Quais as desvantagens de jogar Free Fire?

Jogar demais pode desencadear os seguintes efeitos negativos:

  • Irritabilidade: principalmente ao perder alguma partida, ou quando não puder jogar. 
  • Perda de dinheiro: alguns itens do jogo são comprados com dinheiro real. Quem joga demais fica mais propenso a gastar mais tentando conseguir os melhores ou mais estilosos.
  • Vício em videogame: acontece quando a criança ou adolescente deixa de socializar para jogar, não consegue controlar a frequência, e continua jogando mesmo depois de perceber que faz mal.
  • Problemas de saúde: jogar muito está associado com sedentarismo, problemas de postura e de visão.

Free Fire deixa os jovens violentos?

Jogar videogame não está associado com aumento da violência, mesmo no caso dos jogos de tiro, como o Free Fire. Esse é um mito que preocupa muitos pais.

Na verdade, existe até quem defenda que jovens deveriam estar mais expostos a jogos ou brincadeiras com algum grau de violência ou combate. 

É o caso do padre Paulo Ricardo, que é a favor dos jogos com armas na educação:

Já tinha ouvido esse ponto de vista? Comente aqui embaixo o que achou! 👀

De qualquer modo, se o seu filho joga Free Fire, não precisa se preocupar: isso não quer dizer que ele quer sair atirando por aí. 😉

Especialmente se vocês têm uma boa relação, conversam bastante e você supervisiona quando ele usa tecnologia, não precisa ter medo do vício.

Qual a idade recomendada para jogar Free Fire?

Segundo a Garena, desenvolvedora do jogo, a idade indicada é 13 anos ou mais. Ou seja, o jogo tem temas que não são indicados ou facilmente entendidos por crianças mais novas.

Essa classificação indicativa é parecida com a dos filmes. Elas não são absolutas, mas são um guia importante para os pais.

Se o seu filho é muito mais jovem, jogar Free Fire não faz bem a ele. Existem outros jogos mais adequados à idade dele.

Quantas horas por dia pode jogar Free Fire?

A melhor maneira de limitar é seguindo o tempo de tela por idade. É a medida que cada idade pode usar eletrônicos sem sofrer efeitos negativos.

Esse tempo varia de acordo com a idade. Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, para jovens de 11 a 18 anos, é recomendado no máximo 3 horas por dia.

É importante lembrar: esse é o tempo de uso total dos eletrônicos, não apenas do Free Fire. Por exemplo, se o seu filho quer assistir 2 horas de Netflix, sobra 1 hora para jogar. 

Para saber ao certo quanto tempo pode deixar, acompanhe a rotina do seu filho com atenção. Talvez você perceba que 3 horas por dia é muito tempo na frente dos eletrônicos, ou então que pode deixar um pouco a mais todos os dias.

O tempo de tela é uma recomendação geral, mas você pode adaptar de acordo com a sua família.

Se quiser entender melhor qual o tempo de tela ideal pro seu filho e como tirar ele de frente das telas, leia nosso guia completo de tempo de tela por idade.

Agora uma curiosidade: você sabia que alguns países proíbem os jovens de jogar por muitas horas seguidas? 😯 É o caso do Free Fire na China: 

O Brasil não têm essas leis, então se o seu filho joga demais, você precisa criar alguns mecanismos para tirá-lo da frente do celular.

Existem várias formas de fazer isso, mas o principal é mostrar que existe vida fora das telas. Leve-o para um passeio legal fora de casa, convide para jogar bola, ou faça um combinado com ele para diminuir o tempo de jogo.

Se quiser dicas de como fazer isso sem se estressar e de maneira efetiva, leia o post que escrevemos justamente sobre isso: o que fazer para meu filho parar de jogar videogame?

Agora que você sabe que o Free Fire faz bem, se jogar com limites, que tal entrar em uma partida com seu filho? Ou perguntar como foram as últimas. Os videogames são uma ótima forma de estreitar os laços com as crianças e adolescentes!

E ao fazer isso, você provavelmente se tornará o pai ou a mãe mais legal dentre todos os pais dos amigos do seu filho ou filha! 🥇

Espero que tenha gostado deste post! Se ele te ajudou, compartilhe com um pai ou mãe que você conhece e se preocupa com o filho jogando Free Fire. 🎮